terça-feira, 13 de março de 2012

Elfos em diferentes culturas

Elfos no folclore escandinavo:


No folclore escandinavo moderno, praticamente só exitem elfas, que vivem em colinas e montes de pedras. As Älvor suecas são moças belíssimas que vivem na floresta com um elfo rei. Têm vida longa e são de natureza jovial. São representadas como louras, vestidas de branco e, como a maioria das entidades folclóricas escandinavas, podem ser terríveis quando ofendidas. Nos contos, freqüentemente causam doenças. As mais comuns são e menos perigosas são sarnas e brotoejas, conhecidas como Älvablast (golpe élfico) e podem ser curadas por um forte contragolpe ( um par de foles serve para isso ). Os Skàlgropar, um tipo de petroglifo comum na escandinávia, eram conhecidos como Älvknarnar ( moinhos élficos), apontando para seu suposto uso.
 Pode-se apaziguar as elfas com uma oferenda ( de preferência, manteiga ) posta em um moinho élfico- um costume, talvez derivado do alfablót dos antigos nórdicos.
  Para se proteger das elfas malévolas, os escandinavos costumavam gravar a chamada " Cruz élfica" (alfkrors, älvkrors ou ellakors) em edifícios e objetos. Uma de suas formas era um pentagrama, ainda frequente nas portas, paredes e utensílios da Suécia no século XX. A outra era uma cruz comum gravada em uma placa de prata redonda ou oblonga, usada como pingente de colar, que devia ser forjada durante três tardes com prata herdada . Em alguns lugares também precisava ser posta no altar de uma igreja por três domingos consecutivos.
   As elfas podem ser vistas dançando nos prados, principalmente à noite ou em manhãs brumosas. Se um humano observar a dança das elfas por umas poucas horas, pode descobrir que se passaram muitos anos no mundo real. Elas deixam um circulo onde estiverem dançando, que é chamado alvdanser ( danças élficas) ou alvringar ( anéis élficos), e acredita-se que urinar neles causa doenças veneras. Pisá-los ou destruí-los também é perigoso. Geralmente, os anéis élficos são formados por pequenos cogumelos, ou são áreas circulares onde a grama foi achatada.
Se se interessou por anéis mágicos, que também servem de passagem para outros reinos, leia a postagem no meu blog adancadasfadas.blogspot.com que fala sobre o famoso anel das fadas.

Elfos no folclore Alemão:


No épico medieval alemão Nibelungenlied ( A canção dos Nibelungos), um anão chamado Alberch tem um papel importante. Alberich significa literalmente " Rei elfo ", o que contribui para a confusão entre anões e elfos, já observada nos Edda. Através do francês Alberon, o mesmo nome originou o inglês Oberon - rei dos elfos e das fadas ( fairies ) em Sonho de uma niote de verão de Shakespeare.
 No folclore alemão posterior à cristianização, os elfos passaram a ser descritos como entidades travessas que causam  doenças ao gado e as pessoas e trazem maus sonhos. A palavra alemã para pesadelo, albtraum, significa " sonho élfico ". A forma arcaica albdruck significa " peso ou pressão" do elfo, acreditava-se que os pesadelos eram resultado de um elfo sentando-se sobre o tórax do sonhador. Esse aspecto da crença alemã nos elfos corresponde em boa parte à crença escandinava nos Mara e às lendas cristãs sobre íncubos e súcubos.
  A maioria dos elfos em baladas medievais inglesas são do sexo masculino e freqüentemente de caráter sinistro, inclinados ao estrupo e assassinato, como o Elf- knight (cavaleiro elfo ) que rapta a rainha Isabel. A única elfa mencionada com freqüencia é a rainha dos elfos, ou Elfland. Já nos contos populares do ínicio da Idade moderna, os elfos são descritos como entidades pequenas, esquivas e travessas, que aborrecem os humanos ou interferem em seus assuntos.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Gnomos levados, Duendes travessos © 2008. Template Design By: SkinCorner